O JEJUM É BOM PARA O SEU CÉREBRO!!!!


Os estilos de vida caracterizados  com três refeições por dia, além de lanches e pouco exercício físico resultam em funcionalidades sub-utilizadas do cérebro e aumentam o risco de grandes distúrbios neurodegenerativos e psiquiátricos como acidente vascular cerebral, epilepsia, cérebro traumático, doença de Alzheimer e doença de Parkinson

A cognição, a função sensorial e motora e o desempenho físico podem ser aprimorados pelos protocolos de jejuns e / ou exercícios intensos.
Fornecendo uma fonte de energia alternativa (sua gordura) e ativando caminhos de sinalização envolvidos na neuroplasticidade e resistência ao estresse celular, os corpos cetônicos desempenha um papel particularmente importante nas adaptações neuronais ao jejum e ao exercício.

//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Os neurônios respondem ao interruptor G-to-K, envolvendo um “modo de preservação celular” e adotando um “modo de crescimento celular”, ativando certas vias de sinalização quando o interruptor está desligado (alimentos, repouso e sono).

Os estilos de vida caracterizados  com três refeições por dia, além de lanches e pouco exercício físico resultam em funcionalidades sub-utilizadas do cérebro e aumentam o risco de grandes distúrbios neurodegenerativos e psiquiátricos como acidente vascular cerebral, epilepsia, cérebro traumático, doença de Alzheimer e doença de Parkinson
Alguns protocolos diferentes de jejum provavelmente melhorarão a saúde do cérebro, de modo que os indivíduos possam escolher uma abordagem que se adapte ao seu dia a dia.



Traduzido e adaptado por Flávia Trajano

Criadora da Fan Page e administradora do grupo : JEJUM INTERMITENTE SEM MITOS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: